quarta-feira, 31 de março de 2010

As meninas em revista


Há cerca de um mês, mais ou menos, a redatora de uma revista me mandou um e-mail dizendo que precisava de uma matéria sobre crianças e animais de estimação e, como ela conheceu este blog, disse que seria o ideal, para mostrar como é a relação entre os dois (animal e criança), dificuldades, adaptação, convívio essas coisas. Ou seja, um pouco do que eu já escrevo aqui no blog.

Dei a entrevista e, segunda-feira, a redatora me ligou dizendo que precisava de fotos. Marcamos para hoje pela manhã e foi muito gostoso. As duas ficaram super tranquilas com o fotógrafo, Letícia deu uma de fotógrafa também (o fotógrafo deixou que ela tirasse algumas fotos - ela ficou encantada com o flash) e a Suzie ficou super tranquila com relação a ele, como se ele fosse um amigo que ela não via há muito tempo. E ele super bonzinho também, paciente... porque não é mesmo nada fácil tirar foto de cães e crianças, principalmente dos dois juntos.

Ainda bem que a Suzie sabe alguns comandos então, ela deitou, sentou, ficou, cabeça baixa (no colo da Letícia), essas coisas. Lê também colaborou: beijos e abraços na irmã mais velha, com direito até a brincar de "cadê - achou". Foi muito divertido.

Assim que a revista sair (Alô Bebê) eu aviso aqui.

Foto: depois da sessão de fotos, reproduzi uma das muitas que foram tiradas. Suzie ao lado e Letícia fazendo carinho.

terça-feira, 30 de março de 2010

Suzie tocando pandeiro

Não resisti e coloquei aqui o vídeo da Suzie tocando pandeiro. Ela aprendeu em alguns minutos. Clicker é tudo de bom minha gente! E shaping tb. Depois, fui colocando o comando e agora ela é fera no pandeiro =)

O bom é que, quando ela toca, a Letícia se empolga e toca também, tanto o pandeiro como a flauta. Família musical. Só eu que não sei tocar nada...

Divirtam-se!
video

quarta-feira, 24 de março de 2010

Quando nem tudo vai bem


Não é de bons momentos que vivemos. Afinal, não moramos no paraíso. E, como seres vivos, ficamos doentes de vez em quando, nos machucamos de vez em quando.

A mestra em se machucar é a Suzie, pelo menos 1 vez ao ano ela faz um machucado sério e precisa de atendimento veterinário. Graças a Deus, nunca foi nada sério demais a ponto de precisar de pontos, anestesia, cirurgia.

Por outro lado, ela raramente fica doente.

Lê já se machucou, mas só os joelhos e ela nem liga. Só pede pra passar a pomada (ou tomada, como ela diz) no machucado pra não doer. Ah, e quando me vê cuidando dos machucados da Suzie, quer ajudar, principalmente nos curativos e impedindo que ela lamba os machucados. Uma graça!

Ontem presenciei uma cena muito linda, pena que não tirei foto. O momento não foi lá essas coisas, a Lê estava ardendo em febre, bem apática e quis deitar no sofá pra descansar um pouco e assistir um desenho no DVD. Suzie estava no pufe e, quando viu a maninha toda tristonha, se levantou e foi para o lado dela, toda preocupada. Perguntei pra Lê se a Su podia dar um beijo nela e ela disse que podia. Aí, deixei a Suzie ir ver a maninha e dar um lambeijo nela. Letícia sorriu, disse que foi gostoso. Suzie ficou ali, deitada ao lado dela (porque eu não a deixei deitar em cima, como ela faz quando nós, adultos, é quem estamos doentes: a Lê não ia aguentar, óbvio), observando. Olhava pra mim e pra ela, e eu explicando que a Lê estava dodói e precisava descansar. Um momento lindo entre as duas.

Só uma observação: ontem, graças a Deus, a Lê foi dormir já sem febre. Hoje, está ótima, 100%!

Foto: Letícia de óculos fazendo carinho na Suzie.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Adestramento...

Eu AMO ensinar a Suzie coisas novas: sejam truques, sejam comandos de obediência (que ela também encara como truques, pra tudo ficar mais divertido).

Os momentos que uso para ensinar alguma coisa são durante os passeios (manutenção do que ela já sabe e evitar que ela fique excitada demais com outros cães - sempre com petiscos, difícil eu usar o tranquinho, só em caso de risco pra ela ou pra gente), antes das refeições da Suzie e quando a Lê está acordada, na sala ou na garagem do prédio. A gente adora.

Essa semana eu estava começando a ensinar a Suzie a tocar pandeiro, e a danadinha aprendeu rapidinho: depois de algumas tentativas de morder o pandeiro e não resultar no click tão desejado, descobriu que era pra bater com a patinha. Também estou ensinando-a a tocar um sininho quando quer sair pra passear. Tenho uma ótima distração nestes casos: a Letícia. Não é fácil ensinar alguma coisa pra Suzie quando se tem a Letícia tentando pegar os "bafinhos" (bifinhos... risos) e enfiando na cara da Suzie pra ela comer (aí vai entrando o comando "deixa" que, nossa, tem me salvado um pouco aqui). E agora já expliquei pra Letícia que ela só pode dar o petisco depois de ouvir o click (ela tá entendendo... risos).

Enfim, Suzie está tocando o pandeiro, a Letícia atrapalhando um tiquinho os treinos no começo, mas tá tudo bem. E a Letícia adora os momentos da maninha mais velha aprender as coisas, quer ver como faz, já folheia meus livros de adestramento e me pede pra fazer alguma coisa com a Suzie.

Pelo menos estou tendo sucesso com uma raça que sempre me dizem que não tem jeito, que não aprende nada. Rá... não conhecem a Suzie. Só preciso ler um bocadinho sobre "tandem work", que é trabalhar com dois cães ao mesmo tempo e aplicar no meu caso, com um cão e uma criança =P

Foto: Encerramento da aula de adestramento da turma avançada da Tudo de Cão. Da esquerda pra direita: eu e Letícia, Suzie e Leo (um dos instrutores), Beth e Teca, Lila e ... puxa, esqueci o nome da cachorrinha =(

terça-feira, 9 de março de 2010

Um pouco de farra faz bem...


Brincar com as crianças rejuvenesce, e como! Lógico que também deixa a gente cansada (tanto que desisti de fazer capoeira à noite porque eu já estava mais do que exercitada... risos).

Mas que é bom, isso é. Ver a Letícia dando risadas, brincando com a gente; ver a Suzie cansada depois de um tempinho de brincadeiras (e aLê rindo ao vê-la brincando) não tem preço. Depois isso tudo passa, todos ficam sérios demais de novo... voltamos à chatice que é ser adulto. Fala a verdade: depois que crescemos, ficamos chatos.

Li uma vez que as crianças riem / sorriem umas 15 vezes mais que nós, adultos; mas quando temos filhos, acabamos sorrindo mais e isso faz um bem enorme. E vou dizer uma coisa: quem tem animais, acaba sorrindo mais também, é benéfico pra nossa saúde.

Mas calma lá: não vamos sair por aí tendo filhos ou arrumando cachorro / gato pra depois não cuidarmos de nenhum deles. Não é por aí. Faz um enorme bem pra nossa saúde: rimos mais, nos exercitamos mais, esquecemos um pouco dos nossos problemas - sim. Mas temos que ter responsabilidade: são vidas. Temos que educar, cuidar, brincar, dar atenção, exercitar (tanto os filhos quanto os cães / gatos). Não é fácil. Mas a recompensa aparece e é muito gratificante.

video

Vídeo: Luis brincando com a Suzie (já acabada de tanto brincar) e Letícia (rindo).
Foto: Depois de muito farrear, Suzie deitada em cima de mim e Letícia ainda querendo farrear.

sexta-feira, 5 de março de 2010

A Letícia é vegetariana!


Essa é uma frase que ouvimos direto da nossa pequena.

Desde pequena a gente explica pra ela porque somos vegetarianos, porque não devemos comer os animais, tudo numa linguagem simples. Falamos que os animais são nossos amigos, que eles também tem família e eles ficam tristes quando alguém vai lá e mata um deles pra comer, que os outros ficam chorando. Essas coisas pra crianças mesmo (aliás, preciso ver se faço download de algumas animações sobre vegetarianismo, mais leve pra crianças. Alguém conhece algo do tipo voltado pra crianças?).

Um dia desses, ela pediu pra assistir o desenho O Segredo dos Animais. Coloquei pra ela ver, pela segunda vez (na primeira ela não conseguiu terminar de ver, chorou muito quando o boi morreu no começo do filme). Aí, ela foi vendo e chegou na parte que as raposas pegam as galinhas e querem comê-las. Quando ela viu, ficou horrorizada e me disse assim:

- Não pode comer galinha, mamãe. Elas são amigas e ficam tristes, sentem dor. A gente só pode comer frutas, verduras, legumes, café da manhã, lanche, pão...

Nem preciso dizer que fiquei orgulhosa da minha pequena defensora dos animais e do vegetarianismo. E falou assim mesmo, na linguagem própria dos dois anos de vida, claro. E a enchi de beijos, abraços e disse que era aquilo mesmo. E outras frases dela:

- A Letícia é vegetariana.
- Carne faz mal. Mata os bichinhos e mata as florestas.
- A Letícia adora comer brócolis.

Falando nisso, deixa dar o lanche da minha pequena. Ela precisa ficar forte pra, daqui a pouco, pedir de novo que eu tenha as irmãs gêmeas dela (que ela já deu nome: Laura e Sofia).

quinta-feira, 4 de março de 2010

Qualquer semelhança é mera coincidência

Esse post é mais uma brincadeirinha. Só pra descontrair. Vejam as meninas e com quem elas se parecem em cada foto. Divirtam-se!














Os Whippets se parecem mesmo com um suricato... risos.













Suzie deitada deste jeito, se parece muito com a mãe do Bambi mesmo. Aliás, qual o nome da mãe dele?















Se parecem mesmo, não?



















Minha Boo... adora fazer maria chiquinha pra ficar igual à personagem. Abaixo, ela com um pote de alumínio na cabeça, estilo Menino Maluquinho. Preciso mostrar pro Ziraldo, não acham?

quarta-feira, 3 de março de 2010

Mamãe, quero um...

A Letícia começou com uns pedidos aqui em casa. Quer um Cane Corso, um Jack Russell e irmãs gêmeas... risos.

Como eu curto desenhar, falei pra ela que daria um cachorro desenhado pra ela, não de verdade, então pedi que ela escolhesse entre os que ela mais gosta. Ela pediu pra eu fazer um Jack Russell. Então, fomos nós duas fazer desenho. Eu no meu caderno, ela no dela. As duas entretidas (ela por menos tempo, claro) e, duas horas depois, eis que surge o Jack Russell da Letícia. Ela achou lindo. Agora, quero ver se enquadro pra colocar no quarto dela.

Abaixo, o desenho do Jack Russell e um tigre que eu adoro (sim, fui eu quem fez).

Quanto às irmãs gêmeas... isso fica pra um próximo post =)
Jack Russell
Tigre de Bengala

segunda-feira, 1 de março de 2010

De quem é este pufe?

Estamos há um bom tempo sem sofá na sala. Colocamos, então, umas almofadas no chão pra gente sentar e deitar também (por que não?!).

Mas a Suzie tem um pufe que é uma delícia pra sentar. É, o pufe é dela. Acontece que alguns dias a Letícia a expulsa de lá. Tira a Suzie do lugar e joga a almofada e o cobertor dela no chão, ao seu lado, pra subir no pufe. O único problema é que de lá não dá pra ver TV. Bom, pra gente isso é problema, mas a Lê curte uma musiquinha e nem liga pra esse detalhe.

A Suzie acaba por deitar na almofada no chão mesmo, com carinha de triste. Só que ela nem liga: deitando num lugar fofinho e quentinho perto dos donos (Letícia inclusa), tá ótimo.
Letícia pega no flagra, com a Suzie já expulsa do pufe.
Deitando no pufe. Qualquer dia desses vão trocar de cama.